Warning: implode(): Invalid arguments passed in /home/maeintegral/public_html/wp-content/mu-plugins/endurance-page-cache.php on line 463

Warning: implode(): Invalid arguments passed in /home/maeintegral/public_html/wp-content/mu-plugins/endurance-page-cache.php on line 463

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at /home/maeintegral/public_html/wp-content/mu-plugins/endurance-page-cache.php:463) in /home/maeintegral/public_html/wp-content/plugins/wp-super-cache/wp-cache-phase2.php on line 62
Dez dicas para amamentar bem seu bebê – Mãe Integral

Dez dicas para amamentar bem seu bebê

Amamentar um bebê não é tarefa fácil, principalmente no começo onde aparecem muitas dúvidas e inúmeros palpites. Tivemos muitas dificuldades nessa etapa e se eu não fosse um tiquinho teimosa e se meu marido não fosse parceiro, provavelmente teria pedido arrego, desistido – Só que não 😉 e vou contar isso pra vocês em detalhes em outro post.

Neste eu dou as primeiras (10) dicas pra se manter firme nesse momento tão especial 🙂

1- Comece amamentar cedo

O ideal é que a amamentação comece logo após o parto, na primeira hora de vida. Nesse momento a mamãe ainda não está produzindo leite, mas o colostro que é rico em anticorpos e garante a primeira proteção para seu bebê. Em algumas maternidades os tios doutores e enfermeiros não incentivam a amamentação na primeira hora (por acharem que não é tão importante assim), mas as mamães que fizerem seu Plano de Parto podem pedir isso em seu plano.

2 – Acomode-se bem para amamentar

Escolha uma cadeira e uma posição bem confortáveis porque você vai ficar bastante tempo com seu bebê no colo. A “pega” correta que o bebê tem que fazer para mamar direitinho é a famosa “boca de peixe”, com os lábios bem abertos, com o bico do seio bem dentro da boca. Assim não machuca a mamãe. No início é bem difícil principalmente pra os bebês. A enfermeira ou outro profissional de saúde pode te ajudar a encontrar a posição correta pra amamentar seu recém-nascido.

3 – Ofereça o peito com freqüência

Quando são recém-nascidos, os bebês precisam se alimentar com freqüência – mais ou menos a cada 2 horas – mas, no início, não seguem um padrão regular. É assim que os hormônios da mãe são estimulados a produzir bastante leite. Conforme vão crescendo, os bebês vão entrando numa rotina mais previsível.

Como o leite da mãe é fácil de ser digerido, o bebê – quando é amamentado exclusivamente no peito – sente fome com mais frequência do que quem não mama só no peito.

4 – Não dê complementos

Bebês que mamam no peito não precisam de nenhum tipo de complemento. O leite materno tem tudo o que o bebê precisa e na dose certa. Não dê suquinhos, cházinhos ou água, principalmente água com açúcar, que pode interferir no apetite e até causar cáries antes mesmo dos dentinhos aparecerem. Lembre-se, quanto mais o bebê suga o peito da mãe, mais a mãe produz o leite e mais os bebês se desenvolvem melhor e mais saudáveis. E ignore se alguém te disser que seu leite é fraco. Não existe leite fraco!

5 – Prepare os seios para o aleitamento

Quando a mãe ainda é gestante, os seios já vão se preparando pra amamentar. Bicos e a areola ficam mais escuros. Isso acontece para o bebê conseguir enxergar, como se fosse um alvo que eles precisam acertar.

Nunca esfregue os bicos dos seios com buchinha, toalha molhada ou qualquer outra coisa semelhante. Isso só vai machucar os bicos. Lembre-se que a natureza é sábia e ela prepara o corpo da mãe pras novas funções. Também não é bom passar hidratantes nos bicos para que não fiquem com a pele macia demais.

Bom mesmo é tomar sol de topless por alguns minutos, ou fazer banho de luz infravermelha. Uns 5 minutinhos em cada seio, com a lâmpada distante uns 30cm.

Logo depois do parto, ou até que os bicos do seio criem resistência, a mamãe precisa hidratar bem os bicos com o próprio leite materno ou aplicar uma pomadinha de lanolina pura – vendida nas farmácias – e que não precisa ser removida para o bebê mamar.

6 – Atenção às infecções

Alguns dos sintomas de infecção (mastite) nas mamas são; febre, dores e vermelhidão no bico dos seios. Nesses casos, procure um médico sem demora.

Para evitar a mastite, o ideal é que seu bebê esgote a mama, ou seja, mame todinho o leite. Se a mama não ficar vazia (macia ou meio murchinha) é bom tirar o restante do leite com uma bombinha de ordenha.

7 – Aprenda a lidar com o desconforto das mamas

Normalmente as mamães de um recém-nascido produz muito leite, o que aumenta o volume dos seios, enrijecendo-os e provocando algum desconforto durante alguns dias.

Ofereça o peito ao seu bebê com freqüência, assim seu corpo vai se ajustanto à demanda e vai produzir apenas a quantidade necessária. Para aliviar o desconforto das “mamas cheias”, durante o banho de chuveiro deixe cair bastante água “massageando” as mamas. É sempre bom consultar os médicos para saber sobre outras maneiras de alívio.

8 – Alimente-se bem

Para produzir leite para amamentar seu bebê, é importante que as mamães tenham uma dieta composta de aproximadamente 500 calorias adicionais e que bebam bastante água, de seis a oito copos por dia.

Como na gestação, continue evitando os chocolates, refrigerantes, álcool e café enquanto estiver amamentando.

9 – descanse!

Você já deve ter ouvido de outras mães: “Quando o bebê estiver dormindo, durma também”. Essa regra é de ouro. Aproveite momento que tiver para descansar ao máximo, pois o cansaço agrava o quadro de infecção dos seios e prejudica a produção de leite.

10 – Não desista

Dez-dicas-para-amamentar-bem-seu-bebêMuitas mamães acabam desistindo de amamentar seus bebês por pura falta de informação. As vezes o leite demora pra descer; é normal. Outras vezes parece que o leite é fraco porque o bebê não pára de chorar; no início é normal. Algumas mães preferem ordenhar o próprio leite e oferecer em mamadeira.

Dar o peito ao seu bebê trás inúmeros benefícios que estão ligados diretamente ao desenvolvimento dele. Não tire esse direito dele. Lute, persista e se informe sempre sobre como amamentar seu bebê.

Lembre-se: Amamente seu bebê exclusivamente no peito até ele completar seis meses de vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *