Obstetra e Maternidade escolhidos

Vou te dizer que foi uma peregrinação por alguns consultórios até eu me decidir com qual médico iria fazer o pré-natal completo e parto.

É que… hoje em dia, dá pra confiar nos médicos? Me desculpem os bons profissionais (e graças a Deus por eles) mas não dá não. Erros médicos e o descaso já não são só noticia de jornal. Hoje em dia todo mundo já foi ou conhece alguém que foi vítima de mau atendimento, erro no diagnóstico ou coisa pior.

Aqui em casa a gente pesquisa muito sobre cada problema que aparece e na hora da consulta questionamos o profissional sobre todas as possibilidades e vemos se nos dá a devida atenção ou se é um daqueles que não se interessa pelo paciente.

Então quando estava procurando um Obstetra, fui a três médicos diferentes e nessas três consultas fiz de conta que era a primeira. Fiz as mesmas perguntas aos três (tinha uma listinha de dúvidas preparada) e ouvi atentamente as respostas e orientações.

Quando falei do meu desejo em ter um parto normal, dois deles olharam (modo de dizer pq estavam de cabeça baixa escrevendo ou digitando no computador) pra mim e disseram que poderiam tentar, mas como eu já tinha uma idade avançada (40ntinha bem vividos), seria melhor garantir a saúde do bebê, etc, etc…

O terceiro, uma Obstetra, quando eu perguntei o que ela achava sobre eu ter meu bebê de parto normal, ela respondeu com outra pergunta: “-Como você gostaria?”

Primeiro: ela estava olhando pra mim. Segundo: ela se interessou pelo que EU gostaria. E terceiro: Não só me disse que SIM, eu poderia ter um parto normal, como também me explicou sobre o parto natural e me apresentou um grupo de Parto Domiciliar que estava abrindo uma nova turma no curso de gestantes. E ela frisou bem: “Você não precisa fazer parto domiciliar se não se sentir confiante, mas o grupo é muito bom e o curso deles é excelente pra tirar muitas dúvidas”.

Advinha quem eu escolhi? Pois bem. Dra. Roxana Knobel me acompanhará durante a gestação.

Em outras visitas ao consultório dela, além de nos dar (a mim e ao meu marido) muitas orientações, dicas e tirar muitas dúvidas, ela ainda me “apresentou” um documento que se chama Plano de Parto (vou falar muito dele por aqui) e nos orientou sobre as maternidades que visitamos.

Optamos por um parto natural na maternidade Jane (em Florianópolis), mas eu ainda tinha um receio. E se no momento do trabalho de parto acontecer alguma coisa que possa colocar em risco a mim ou ao bebê.  Será que a clínica está preparada para uma mudança de ação como essa, porque quando o parto é natural, se usa uma sala especial e uma equipe especial. Já para uma cirurgia, a sala é outra e a equipe também.

Então a Dra. Roxana nos explicou que eles tem um prazo de mobilização de até 15 minutos e que esse prazo é menor do que manda a Organização Mundial da Saúde (OMS), que diz que o mínimo aceitável de de 30 minutos.

Fiquei bem tranquila com essas e outras tantas explicações que ela nos deu.

Enfim, encontramos uma médica (que é mãe), humanizada, preocupada com o bem estar e tranquilidade de sua paciente e que vai contra esse sistema “automático” de atendimento e “manipulação” de gestantes.

Estamos tranquilos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *